terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pequenos Prazeres

A vida é feita de pequenos prazeres que a tornam num grande prazer. Cada qual terá os seus pequenos prazeres, mais ou menos recônditos, mais ou menos peculiares, mas todos sintomáticos de que fazem parte de um ser que saboreia a vida nos seus mais ínfimos pormenores. Que gosta da vida e que tem prazer em viver. Os meus pequenos prazeres são imensos. Práticamente impossível de os enumerar. Mas alguns já adquiriram o estatuto de prazer diário. Quase como que uma rotina prazenteira. E é no final de mais um dia, por norma de imenso trabalho, que é com um enorme prazer que chego a casa e recebo aqueles abracinhos tão doces dos meus filhotes que se atropelam mutúamente para serem os primeiros a contarem-me as novidades ou tudo aquilo que fizeram ou que deixaram por fazer, a alegria ululante e pululante das minhas cadelas num reencontro apetecível... E trocar os sapatos que me aprisionaram os pés durante o dia inteiro pelas havaianas coloridas e arejadas, pôr a trela na Cookie e dar um passeio juntamente com os miúdos pelo parque, com passagem obrigatória pelo parque infantil. Não só a renovação do ar poluído que aspirei o dia todo mas também a renovação mental e espiritual começam a fazer-se notar, sentindo a mente a esvaziar de todos os problemas e aborrecimentos que assombraram esse dia. E ao chegar a casa, já com um espírito totalmente renovado, segue-se o meu pequeno prazer dedicado ao corpo, com um banho prolongado que retira todas as impurezas atraídas por impulsos magnéticos incontroláveis, e o ritual precioso de me deixar envolver por óleos aromáticos e cremes perfumados. É então que sinto que o meu dia está completo, que nada ficou por fazer, pelo menos que não se pudesse deixar para outro dia, e que estou disposta e predisposta a dar toda a atenção que a família precisa e que merece.

Sem comentários:

Enviar um comentário