segunda-feira, 4 de maio de 2009

Dia da Mãe

Porque é que o Dia da Mãe se reveste de um carácter tão especial? Não deveriam ser todos os dias os dias das mães? É necessário haver 1 dia para nos lembrarmos das nossas mães ou os nossos filhos nos darem mais atenção e carinho? Porque qualquer mulher, até ver, pode ter 1 filho, mas ser mãe é muito mais do que parir. Ser mãe não se explica, não se aprende, por vezes não se entende. É um sentimento único, é uma preocupação constante, é uma alegria latente, é uma impotência aparente, é um desejo contraditório em esperar que eles cresçam mas não querer que nunca cresçam, que se mantenham sempre perto de nós, junto a nós, debaixo das nossas asas, onde os possamos proteger, cuidar, acarinhar, orientar, rir com as suas alegrias e partilhar momentos de tristeza e de desalento animando-os com aquela força interior que só 1 mãe tem. Ser mãe é finalmente compreender as nossas mães, tudo aquilo que elas por nós fizeram, tudo aquilo pq passaram, os sorrisos que nos mostraram qd choravam por dentro.
Só depois de ser mãe passei a dar o devido valor e respeito que a minha mãe sempre mereceu.
E todos os dias devem ser dias da mãe. Mas pq há que cumprir o calendário e não defraudar as expectativas, enchi a casa de flores à minha mãe, escrevi-lhe umas quadras, fomos à missa da Avé-Maria, fomos almoçar fora, recebi os presentes fantásticos feitos pelos meus filhos, e até vi e cantei com eles o "Mamma Mia". E soube tão bem.....

Sem comentários:

Enviar um comentário